O paranaense que resgata as músicas dos festivais nativistas

por ABC do Gaúcho
Thiago Ferreira
crédito: Divulgação

Não, ele não é gaúcho e, pasmem, nunca foi a um festival nativista no Rio Grande do Sul. Mas isso não foi impedimento para que o paranaense Thiago Ferreira, de Curitiba, ame a música regional gaúcha e, mais que isso, lute para sua divulgação e resgate. Há um ano e 4 meses esse curitibano que trabalha em uma empresa de táxi aéreo, dedica-se a garimpar e colocar em seu site e canal do Youtube, músicas dos festivais nativistas. Hoje já são 1.741 resgatadas no canal, que tem mais de 3 mil inscritos e um total de 1 milhão e 300 mil visualizações!

Questionado sobre por que decidiu começar esse trabalho, nem nunca ter ido a um festival no Rs, ele responde que a partir das letras e melodias desenvolveu uma paixão pela música regional. “Foi ali que eu descobri verdadeiro sentimento por essa cultura. As músicas vinham servidas em melodias e letras perfeitas”. Confere abaixo a entrevista e conheça um pouco mais sobre como funciona esse trabalho, que a partir de agora se une ao site ABC do Gaúcha, pela valorização e divulgação da música dos fesivais (veja a nova seção AQUI).

ENTREVISTA COM THIAGO FERREIRA – DO SITE E CANAL FESTIVAIS NATIVISTA

Como conhecestes a música regional gaúcha?
Thiago –
Eu não sou gaúcho, nasci e resido na cidade de Curitiba, mas nem sempre morei aqui. Vivi no interior do Paraná, minha infância e adolescência inteira. O gosto pela música gaúcha, a música nativa, veio de ouvir rádio mesmo, ouvir programas de rádios locais, um baile ou outro. A região onde cresci era uma região que tinha muitos bailes. Sempre gostei dessa cultura.

E como conhecestes o mundo dos festivais?
Thiago –
Os festivais conheci por dois amigos, o Carlos Alberto Sima e o Junior Colesel, digo que eles foram os responsáveis por eu me apegar tanto à música nativa. Quando eu tinha 14 anos, ou 13, por aí. Me deram umas cópias dos CDs da 11ª Sapecada da Canção Nativa, foi ali que eu descobri verdadeiro sentimento por essa cultura. As músicas vinham servidas em melodias e letras perfeitas, aquilo me encantou demais. Com o tempo fui correndo atrás de alguns festivais, os mais conhecidos, já que sempre morei no Paraná. O povo não tinha muito o costume de ouvir isso, gostavam mais de músicas de baile mesmo. Aos poucos fui me ajeitando com a internet e correndo atrás de músicas e CDs.

Qual primeiro festival que fostes?
Thiago –
A Sapecada da Canção, de Lages, que além de ser o primeiro festival que ouvi, é o que vamos quase todo ano, fica perto pra gente. A Vacaria também fica perto, mas acabamos não indo ainda. Mas eu tenho vontade de ir em todos

No RS, já assististes a quais festivais?
Thiago –
Nenhum, eheheh… mas vamos pra Coxilha, de Cruz Alta, esse ano, se tudo der certo. O festival, pra gente que vive longe, é algo de se programar muito bem.

Qual a proposta do site e canal Festivais Nativistas?
Thiago –
A ideia mesmo é o resgate, fazer com que as músicas, intérpretes e compositores não sejam esquecidos.

Quando foi criado o canal?
Thiago –
Faz 1 ano e 4 meses que o canal foi criado, ganhou corpo, inscritos. Hoje somos 3 mil inscritos e quase 1 milhão e 300 mil visualizações. claro que o acervo do canal conta, e muito. Hoje são 1.741 vídeos no total. Mas eles são simples. Não carregam imagens, somente uma legenda com um fundo preto e as informações sobre os compositores, intérpretes, e edições do festival, a legenda e a letra da música. Já coloquei alguns vídeos, o próprio festival me liberou, caso do Acampamento da Canção.

E como começou esse “garimpo”?
Thiago –
Sempre fui curioso em saber de quem era a música, não só sobre o intérprete. E também era muito curioso por letras, nunca fui cantor, muito menos músico, mas me interessavam as poesias, e principalmente o linguajar do gaúcho, mais ainda, o que sempre tive curiosidade de entender, era o linguajar do povo da fronteira. Aí eu conhecia uma música, por exemplo, na voz do César e Rogério Melo. Aí pensava, mas eu conheço essa música, só que na voz de outro alguém.

E como surgiu a ideia do canal no Youtube?
Thiago –
O canal no youtube começou a nascer a partir daí, fazer um resgate de onde a música veio, o porque que ela foi escrita, onde que nasceu, qual festival… entende? E sobre as letras, quantas vezes fui atrás de uma letra e não a achei… Então resolvi criar o canal, respeitando o compositor, intérprete e as edições de cada festival.

E como começou esse trabalho de resgate?
Thiago –
Eu tinha muita música em mente pra colocar lá, aí que fui reunindo informações, falei com alguns experientes na área, por exemplo o Cattani, que é dono do Produto Cultural Gaúcho. Daí por diante, o Facebook me ajudou muito, fui conhecendo os compositores. Aí que comecei a gostar de verdade da coisa. Recebo muita ajuda, principalmente dos compositores mais novos, me enviam letras, melodias, não negam informações, gostam do trabalho, pois é uma forma de divulgar a cultura né. Também recebo muita ajuda de compositores experientes, de longa estrada. Há pouco conversava com o Adão Quevedo, o Mauro Marques, o Severino Moreira… Fui formando um círculo de amizades nesse meio que muito me agradam. A Radiosul também ajudou. É uma lista enorme de colaboradores.

E como está sendo a repercussão desse trabalho?
Thiago –
Eu fico muito feliz com a repercussão do canal, sabe. O pessoal agradece, parabeniza. Isso é bom. E jamais, em momento algum, pensei em me promover com isso. Esse convívio com o povo que gosta da mesma coisa que a gente gosta, gosta e vive, não tem o que pague.

Qual tua profissão?
Thiago –
Eu sou formado em manutenção de aeronaves, e trabalho numa empresa de táxi aéreo, mas no setor administrativo

E como faz para conciliar essa resgate das músicas e tua profissão?
Thiago –
Pois é, eu trabalho, tenho uma vida normal, sou casado, o canal é algo que me entretem nas horas vagas
queria ter mais tempo pra ele, mas não posso.

E como funciona a manutenção do site e canal? Tens alguma ajuda nisso?
Thiago –
Quem fez o site todo fui eu. Eu que atualizo ele diariamente, ele está bem incompleto, mas estou atualizando por ordem alfabética as músicas. E tem uma pessoa que me ajuda muito, principalmente em apoio, que é a minha mulher, a Vanessa. Ela também adora tudo isso. Antes da gente se conhecer ela não conhecia o meio dos festivais. Gostava da cultura, foi isso que ajudou a nos aproximar. Hoje ela adora mesmo, se encantou

E quem quiser enviar músicas e colaborar com o site, como faz?
Thiago –
Basta enviar o material para o e-mail festivaisnativistasdosul@gmail.com.

*Para visitar o site, basta clicar AQUI.

teste
TAGS: Festivais nativistas, música,

  Veja também

Luiz Carlos Borges

Tem Luiz Carlos Borges In Concert dias 29 e 30 no Theatro São Pedro

Um dos ícones da música regional gaúcha, Luiz Carlos Borges subirá mais uma vez ao palco de luxo do Theatro São Pedro, em Porto Alegre, dessa vez em dose dupla. Dias 29 e 30 de abril, às 21 horas ele apresentará o espetáculo Luiz Carlos Borges In Concert, onde fará o lançamento do álbum DoseDupla….

Márcia Freitas fará show dia 26

CD e DVD da 30ª Moenda serão lançados dia 26 de abril

No dia 26 de abril será lançado o CD e o DVD da 30ª Moenda da Canção e 6ª Moenda Instrumental com show da patrulhense Márcia Freitas (uma das premiadas no festival) e convidados, no Estrada Velha Pub e Chopperia. Lembrando que as inscrições para a 31ª Moenda e 7ª Moenda Instrumental vão até 4…

Triagem Sapecada

Definidas as músicas da 25ª Sapecada da Canção

Já estão definidas as músicas que participarão da edição de bodas de prata da Sapecada da Canção Nativa, que ocorrerá dia 12 de junho, no Parque Conta Dinheiro, junto com a 29ª Festa Nacional do Pinhão. A triagem, aberta ao público, ocorreu no CTG Barbicacho Colorado, e foi realizada pelos jurados Rafael Machado, Gabriel Selvage,…

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Vertentes