O Brasil não é só samba!

por Marco Aurélio Ávila
Aldeia na Itália
crédito:

Com muito gosto recebi o convite da amiga Tânia Goulart para escrever sobre dança. E trago nessa estreia algumas considerações sobre a última viagem que fiz, liderando a comitiva do CTG Aldeia dos Anjos na Itália, onde nos saímos campeões do 61° Festival Internazionale del Folklore na cidade de Agrigento, a Sagra del Mandorlo in Fiore.
Após uma pausa de um ano em viagens, resolvemos encarar o desafio de participar deste que é o mais antigo festival competitivo do mundo e onde nenhum grupo brasileiro havia sido campeão. Todo o esforço começou após o Enart de 2015, já com mais calma para montar uma equipe forte, pois nem todos poderiam se fazer presentes. Assim, com a ajuda da Lúcia Brunelli, nossa coreógrafa há anos e a tradutora da viagem, já que tem cidadania italiana, preparamos 10 pares numa maratona de dois ensaios semanais a fim de mostrar a cultura gaúcha no mais alto nível artístico.

Assim, partimos de Porto Alegre no dia 06 de março, chegando em Catânia, na Sicília no outro dia, de onde fomos de ônibus para Agrigento, uma bela cidade às margens do Mediterrâneo com ares medievais e antigos, contando com alguns dos templos gregos mais bem preservados do mundo. O hotel era charmoso e ali estavam hospedados outros cinco grupos, havendo um clima de amizade muito bacana nas noites de cantoria e música no saguão principal. E mesmo com um frio de 6°C, o grupo manteve a rotina de fazer ensaios no pátio do hotel a fim de manter o foco principal na competição, que seria uma apresentação única de 9 minutos no belo Teatro Luigi Pirandello.
Então, após 4 desfiles de rua e inúmeras apresentações chegamos ao domingo final para a divulgação da premiação em frente ao Templo da Concórdia. É quase banal dizer que o clima de espera e nervosismo deu lugar a muita alegria quando chamaram o nome de nosso país em primeiro lugar. Muita euforia e choro em cima do palco após termos dançado nossas danças e recebendo o prêmio do governador da província, sob os olhares de 20 mil pessoas que visitavam o lugar. Orgulho por isso é o que se viu em nossos olhos e a certeza de que o nosso Brasil tem mais do que carnaval para mostrar. Assim, os palcos de mais um festival pelo mundo ficaram abertos para a cultura gaúcha

teste
TAGS: Dança, festivais de folclore,

  Veja também

interpretação na dança

A interpretação na dança!

“A interpretação da dança é da maior importância e validade, pois traduz as características de uma época… a expressão de vida de uma coletividade… o desenvolvimento socio-cultural de uma comunidade… enfim, o folk, que é o próprio sentir, agir e reagir natural do povo!” (João Carlos D´Ávila Paixão Côrtes) Depois de uns dias um pouco…

A harmonia na dança

Harmonia é o substantivo feminino com origem do idioma grego e que indica uma “concordância” ou “consonância” tanto a nível artístico como a nível social, tanto por história da palavra quanto por significado da mesma. Em resumo, harmonia é o resultado natural da verdade: É um conceito clássico que se relaciona às ideias de beleza,…

Arquivo Paixão Côrtes

Sapateios – Parte 2

“Que a dança é uma diversão e não uma obrigação. Quer dizer: é prazeroso, tanto para a dama, pra prenda, quanto pra o homem! (…) O que nós estamos vendo, naturalmente, agora, são espetáculos, são shows. São bonitos e alegres, mas não são tão autênticos…” (João Carlos D´Ávila Paixão Côrtes) Nos elementos da nossa dança,…

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Vertentes