A arte de Berega

Calendários Ipiranga

Um dos artistas plásticos que mais retratou a cultura regional gaúcha em seu trabalho foi Luiz Alberto Pont Beheregaray, conhecido por Berega. Ele nasceu em 26 de maio de 1934 em Uruguaiana, onde morreu em 9 de abril de 2012. Conforme a página do artista, ele desenvolveu seu gosto e talento pelo desenho ainda na infância mas somente passou a trabalhar profissionalmente como artista plástico no início da década de 70.

OS CALENDÁRIOS:
Sua arte ficou amplamente conhecida a partir de 1979, quando começou a ilustrar os calendários da empresa Ipiranga. Eles traziam cenas do interior, retratando peculiaridades do povo gaúcho. Os calendários surgiram da ideia de se resgatar cenas da vida gaucha e eram distribuídas na rede de postos Ipiranga para clientes e funcionários, até 1999. Foram elaborados a partir de cenários vividos por Berega durante sua infância no interior e também foi feito um trabalho de pesquisa sobre a cultura e historia do Rio Grande do Sul, para recriar algumas das cenas.

Além dos calendários, Berega pintou em quadros e lâminas, o cavalo: o retratou em inúmeras raças, nos infinitos movimentos, usos, culturas e esportes.

Da página de Berega, sobre sua obra: “Apaixonado pela cultura regional gauchesca, Berega é um estudioso meticuloso de todos os aspectos relacionados, de sua história aos seus costumes. De suas matizes às suas texturas. De seus movimentos à sua impressão estática de sua forma. De sua força à complascência na fragilidade de linhas tênues e delicadas perpetuadas em seu trabalho. Tem sido sempre lembrado pelos tradicionalistas, estudiosos e artistas por ter marcado referência em vários aspectos, recebendo ainda homenagens e citações em outras obras como poesias e letras de músicas. Berega em seu traço forte, meticulosamente trabalhado, vai desde o lado jocoso dos tipos terrunhos nos sempre lembrados Calendários da Petróleo Ipiranga S.A. às centenas de retratos realistas de pessoas e animais usando uma técnica que aprimorou por anos na pintura sobre couro como suporte.”

*A iustração acima tem como título “Posando para a Posteridade” e integra o calendário Ipiranga de 1983. Na legenda, feita por Berega, a descrição da cena: “Campeões de Truco e Rinha, vice de Tava e menção honrosa de Bocha, foi a premiação que a “Flor e Truco”, obteve no último “Rodeio Literário, Desportivo e Recreativo”. A sede social funciona provisoriamente nos fundos do bolicho “El Sapo Milonguero”, do basco Etcheveray. A Sociedade, na verdade, é bem mais recreativa que cultural, mas quem sabe se entre seus componentes não estará um futuro membro de alguma insigne Academia de Letras, um político de renome ou um distinto presidente do Clube Comercial. Quem viver, verá!

Fandango
Fandango

Título: Fandango (calendário de 1983)
Técnica: Gouache (têmpera holandesa Talens sobre cartão branco montado em chapa de Eucatex).
Observações: Texto de Berega:

Califórnia da Canção
Califórnia da Canção

Título: Califórnia da Canção Nativa (calendário de 1983)
Técnica: Gouache (têmpera holandesa Talens sobre cartão branco montado em chapa de Eucatex).

Praça da Rodoviária
Praça da Rodoviária

Título: A Praça da Rodoviária (calendário de 1997)
Descrição de Berega: “Praça – Do Grego: Platéia. Lugar onde nossos “Artistas” se apresentam nos espetáculos de Domingo. – A Praça aos Domingos, em Algum Lugar do Interior”.

Cavalos
Cavalos

Aqui uma das lâminas sobre os cavalos, feita em 1982.
Descrição da lâmina, feita por Berega: “Gaúcho à cavalo cabresteando duas éguas em buçal. Lâmina não contém vinhetas”.

SOBRE O ARTISTA
Berega morou em Porto Alegre de 1958 a 2000 exercendo as atividades de bancário, empresário e artista plástico, quando voltou a sua cidade natal Uruguaiana exercendo a atividade de pecuarista. Faleceu em sua Uruguaiana em 09 de abril de 2012 vítima de complicações do Mal de Parkinson que o acometeu aos 50 anos de idade e gradativamente evolui tirando o que Berega mais gostava de fazer: trabalhar com a arte. Seu trabalho na temática gauchesca o enquadra no que os platinos denominam pintor costumbrista, a arte dos costumes da sua terra. No início de sua carreira desenvolveu trabalhos na arte sacra e medieval, trabalhando técnicas de envelhecimento com uso de vernizes e betume.

Em suas pinturas de cavalos mostra um estilo dentro de uma técnica própria e original: tinta sintética sobre suporte de couro. Retratou nesta técnica vários animais ganhadores de prêmios ou de apreço significativo de seus proprietários. Pintou várias raças, sendo a sua maioria em cavalos crioulos e árabes. As demais raças retratadas, como exemplo, foram o PSI (Puro Sangue Inglês), Brasileiro de Hipismo, Apaloosa e Campolina.

Retratos de cavalos de sua autoria encontram-se em coleções particulares e de criadores em vários Estados barsileiros e do exterior como Argentina, Uruguai, Paraguai, Estados Unidos da América, Suécia, Alemanha, entre outros.

Autor de capas e ilustrações de vários livros e revistas e de álbuns de própria produção em off-set. Autor das ilustrações dos calendários da Fertisul e Petróleo Ipiranga S.A. dos anos de 1979 à 1999, retratando de forma jocosa o gaúcho e resgatando cenas campeiras do cotidiano com um trabalho de pesquisa e veracidade de seus costumes e cultura. Em alguns calendários fez parceria com os versos do poeta Jayme Caetano Braun.

Autor das ilustrações do calendário da Cooperativa Central Gaúcha de Leite Ltda. (CCGL) em 1992. Teve seu trabalho focalizado várias vezes pela Revista Hippus de São Paulo, especializada em cavalos de criação e esporte, Revista da Associação dos Criadores de Cavalo Crioulo (ABCCC) e Revista da Associação dos Criadores de Cavalo Árabe (ABCCA).

Trabalhos de sua autoria foram adquiridos para presentear o Ex-Presidente da República Federativa do Brasil João Batista Figueiredo, ao Ex-Vice-Presidente Aureliano Chaves e ao Ex-Presidente da República Oriental do Uruguai Julio Maria Sanghinetti.

Alguns de seus trabalhos encontram-se na Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos, em Washington DC. Foi membro da Society of Equestrian Artists, sede Londres (UK). Retratou em suporte de couro outros animais como gado bovino, ovino e cães, bem como pessoas associadas ao cavalo como em esportes, criadores e proprietários.

FONTE: site www.berega.com.br

teste
TAGS: